Formação-Ação 2019

O que é? 

A Formação-Ação é uma intervenção com aprendizagem em contexto organizacional, que mobiliza e internaliza competências com vista à persecução de resultados assentes numa estratégia de mudança empresarial.

Funciona através de uma metodologia em alternância das vertentes Formação e Consultoria (na empresa), permitindo atuar ao nível dos formandos, desenvolvendo competências nas diferentes áreas de gestão e ao nível da empresa, procurando aumentar a produtividade, a capacidade competitiva e a introdução de processos de mudança/inovação nas empresas.

Temáticas:

  • Economia digital
  • Gestão da inovação
  • Indústria 4.0

Investimento

A Formação-Ação é comparticipada em 90% para as empresas, excluindo as remunerações dos ativos empregados em formação durante o período normal de trabalho.

Público-alvo

Trabalhadores Independentes, Empresários em Nome Individual (com registo de NIF individual), Micro, Pequenas e Médias Empresas da Região Centro.

Aviso

10/SI/2019

Volume de Formação e Consultoria por PME

Horas de Formação-Ação

N.º Trabalhadores a abranger por PME/Temática

Formação Teórica

Consultoria

Tipologia de PME

Nº de horas de Formação

N.º de Horas de Consultoria

Total de Horas

Regime Inter

Regime Intra

Micro

75

100

175

3*

Mínimo de 6**

3*

Pequena

100

100

200

Média

125

150

275

Empresários

50

75

125

1

1

* Valor médio máximo por PME/Temática

** Cada ação (turma) tem de cumprir um mínimo de 6 formandos

Ficha de Pré-Adesão

Baixe aqui a Ficha de Pré-Adesão

Envie a ficha preenchida e assinada para info@novotecna.pt ou para geral@novotecna.pt.

Temáticas:

Economia digital

Objetivos gerais:

Pretende-se com esta temática que as PME, evoluam na adoção de tecnologias digitais, que permitam mudanças disruptivas nos seus modelos de negócio, tornando-as mais eficientes, melhorando a produtividade e reduzindo custos económicos e de contexto, o que implica, também, uma mudança de mentalidade e cultura corporativa, nomeadamente na relação entre cliente e fornecedor.

Linhas orientadoras:

Desenvolvimento de redes modernas de distribuição e colocação de bens e serviços no mercado; criação e/ ou adequação dos modelos de negócios com vista à inserção da PME na economia digital; presença na web; introdução de sistemas de informação aplicados a novos métodos de distribuição e logística.

Público-alvo:

Esta temática é dirigida a micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos. É dirigido essencialmente àquelas empresas que, cumprindo os requisitos definidos, pretendam ser intervencionadas, entre outras, as áreas de sensibilização aos empresários e trabalhadores para a importância digital e para a incorporação tecnológica nos modelos de negócio, de desenho e implementação de estratégias aplicadas a canais digitais para gestão de mercados, de canais, produtos ou segmentos de cliente, de desenho, implementação ou otimização de plataformas web.

Gestão da inovação

Objetivos gerais:

Na inovação visa-se a procura de soluções novas ou significativamente melhoradas ao nível de processos, produtos, organização ou marketing que permitam às PME reforçar a sua posição competitiva e melhorar o seu desempenho ou níveis de conhecimento.

Linhas orientadoras:

Desenvolver competências nas áreas de gestão da inovação, métodos de estímulo à criatividade e design thinking, construção de planos de inovação ou de desenvolvimento de novo produto/serviço ou negócio.

Público-alvo:

Esta temática é dirigida a micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos. É dirigido essencialmente àquelas empresas que, cumprindo os requisitos definidos na regulamentação aplicável, pretendam desenvolver competências nas áreas de gestão da inovação, numa lógica de intraempreendedorismo e de partilha interempresarial de experiências.

Indústria 4.0

Objetivos gerais:

Desenvolver estratégias de crescimento através de soluções digitais que potenciem processos produtivos mais eficientes e interconectados, criando novos modelos de negócio e novas cadeias de valor. Incrementar a atividade de empresas em processo de transformação tecnológica, alinhadas com os desafios da Quarta Revolução Industrial.

Linhas orientadoras:

Pretende-se que as PME, em função dos resultados do diagnóstico e do grau de maturidade i4.0, elevem os níveis de automação e digitalização dos processos produtivos, incrementando a sua atividade empresarial e reduzindo custos económicos e de contexto.

Na fase de diagnóstico, deverá ser realizada uma avaliação da maturidade industrial e tecnológica e identificação de medidas de ação que incrementem soluções digitais integradas, que impliquem transformações em toda a cadeia de valor e que potenciem a inovação nos processos e produtos. Implica apurar as necessidades de desenvolvimento de competências críticas associadas.

A entidade promotora que apresente esta temática no seu projeto deve comprovadamente apresentar competências para atuar nesta área temática. A componente de formação teórica deverá abordar temas como:

  • Novas competências pela incorporação de soluções digitais;
  • Cultura organizacional digital;
  • Inteligência artificial, robótica, internet das coisas, computação em nuvem, Big Data, tecnologias aditivas de fabricação;
  • Soluções de plataformas integradas;
  • Sistemas e equipamentos conectados;
  • Conetividade na cadeia de valor;
  • Sistemas de monitorização da produção em tempo real;
  • Interfaces digitais avançados com clientes, fornecedores, parceiros;
  • Digitalização e automatização de processos;
  • Processos de produção autónomos, flexíveis e monitorizáveis;
  • Materiais avançados e inteligentes implicando sustentabilidade ambiental;
  • Cibersegurança;
  • Financiamento/Investimento – Instrumentos e mecanismos para projetos i4.0;
  • Inovação industrial a nível organizacional, processos e produtos;
  • Novos métodos de recolha e análise de dados para suporte à gestão;
  • Plataformas digitais de apoio à gestão.

A componente de consultoria on the job deve permitir, em função do diagnóstico efetuado:

  • o teste e experimentação de novas tecnologias e equipamentos, em intercâmbio com centros de conhecimento e fornecedores de tecnologia;
  • o desenvolvimento de planos de atuação que permitam uma progressiva integração em ecossistemas digitais;
  • a digitalização de produtos existentes potenciando o desenvolvimento de novos produtos;
  • a incorporação de novos métodos de recolha e de análise de dados;
  • a realização de visitas a empresas que já introduziram novas abordagens associadas à indústria i4.0 (ao nível de equipamentos, software e serviços).

Público-alvo:

Esta temática é dirigida a micro, pequenas e médias empresas produtoras de bens e serviços transacionáveis e/ou internacionalizáveis ou que contribuam para a cadeia de valor dos mesmos. Essencialmente aquelas empresas que, cumprindo os requisitos definidos na regulamentação aplicável, apresentem competências comprovadas para atuar nesta área temática, designadamente as que incluam no seu perfil:

  • Atividade industrial ou prestação de serviços técnicos especializados à indústria;
  • Projetos de investimento em desenvolvimento para incorporação de soluções digitais de apoio ao crescimento empresarial;
  • Tecnologias e processos associados à indústria 4.0, apresentando já um nível “médio” de transformação digital.

BarraNOVOTECNA-CEC